top of page

Saúde mental de jovens no Brasil: baixa autoestima e ansiedade




Em uma das aulas que realizei em forma de free talking recentemente, na qual discuti com os alunos um artigo de um jornal brasileiro. Achei o tema do artigo muito interessante que decidi compartilhar com vocês.


O artigo que você pode acessar pelo link abaixo, basicamente destacava "os desafios da saúde mental dos jovens brasileiros ". Se você está aprendendo português, convido você a clicar no link e se desafiar na leitura compreensiva.


O artigo é sobre um estudo recente realizado em conjunto pelas empresas Instituto Cactus e AtlasIntel: "Nova pesquisa sobre a saúde mental dos jovens". Vamos ler e explorar os impactos e as possíveis causas por trás disso.



Resultados surpreendentes

Este estudo revela os problemas relacionados à saúde mental dos jovens brasileiros de 16 a 24 anos por meio de uma pesquisa online.

A seguir está um trecho do artigo.


A maioria (78%) relatou ter se sentido feio ou pouco atraente ao menos uma vez nas últimas duas semanas anteriores à data da coleta. Destes, a maioria (73%) também relatou se sentir pouco inteligente e quase metade (45%) afirmou não ter saído com amigos no período.

O estudo avalia que as percepções estão associadas a questões importantes de saúde mental, já que aqueles que aqueles que reportaram baixa autoestima também demonstraram baixo interesse e prazer nas atividades do dia a dia (80%), e a sensação de cansaço e a falta de energia (90%). Além disso, uma parcela indicou ter brigado com seus familiares no período indicado (70%).


Dessa forma, a partir dos resultados da pesquisa, ficou evidente que muitos jovens estão experimentando baixa autoestima e sentimentos de solidão nas últimas duas semanas. Além disso, a baixa autoestima está relacionada à falta de interesse e prazer nas atividades cotidianas, fadiga, falta de energia e conflitos familiares.

Agora, por que essa influência tão significativa na saúde mental dos jovens está ocorrendo?


Especialistas têm apontado diversas possibilidades, incluindo o impacto do ambiente digital, mudanças sociais e diminuição da tolerância em relação a questões de gênero e raça. Além disso, a pressão acadêmica e social também é considerada um fator importante.


Dentre esses fatores, será que a influência das redes sociais (SNS) não é particularmente significativa? As redes sociais muitas vezes apresentam apenas uma parte brilhante e destacada da vida de outras pessoas, fazendo parecer que suas vidas estão sempre repletas de momentos felizes e perfeitos. Viagens e refeições luxuosas, por exemplo, que podem ser eventos raros para uma pessoa, podem parecer acontecer rotineiramente no cotidiano de outra pessoa.

a pessoa que vê acaba se comparando com a parte destacada da vida de outras pessoas se achando uma pessoa infeliz em comparação aos outros e se torna negativa. Pessoalmente, acredito que essa seja uma das razões subjacentes.


O próximo artigo também contém um conteúdo chocante. O título é "Suicídio é a segunda maior causa de morte entre jovens no mundo" 😢. O mapa mundial apresentado neste artigo também é impactante...

No artigo, é mencionado que "entre 1980 e 2000, a taxa de suicídio entre os jovens aumentou 10 vezes e no Brasil, o suicídio é a terceira principal causa de morte entre os jovens, ficando atrás de acidentes e homicídios. Além disso, no Brasil, estima-se que ocorram 24 suicídios por dia, e o número de tentativas de suicídio é mais de 20 vezes maior do que o número de mortes", sendo explicado que esse artigo foi escrito em 2012, mas a situação parece ter piorado desde então.


Para enfrentar esses desafios, é necessário fornecer um apoio adequado. É importante criar um ambiente onde jovens possam manter uma saúde mental saudável, tanto nas escolas quanto em casa e na sociedade como um todo. Especialmente, o uso saudável das mídias digitais e a disponibilização de serviços de aconselhamento adequados deveriam ser considerados.


Nesse contexto, uma abordagem única do Japão está sendo apresentada no Brasil. O título do artigo é "Papel higiênico tem ajudado o Japão a prevenir o suicídio de jovens;"  

No artigo, é relatado que várias universidades no Japão iniciaram uma abordagem única, imprimindo mensagens de tranquilidade e números de prevenção ao suicídio no papel higiênico. É importante começar de lugares próximos como esse.


As crianças são o tesouro e a esperança do futuro. Não podemos deixar de lado o aumento do sofrimento mental dos jovens e o aumento dos casos de suicídio no Japão e no Brasil e no mundo. Não seria necessário que os países se voltassem para esses desafios em comum e trabalhassem juntos para encontrar soluções?


Se ainda não assistiu ao próximo vídeo 👇, convido você a dar uma olhada.

Compreender as diferenças culturais e aprimorar as habilidades de comunicação real⤴️

 


105 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page